Categorias

Suporte e Resistência: como funcionam e como identificar?

Sumário

Tempo de leitura: 3 minutos.

Quando se trata de day trade e swing trade, é muito importante analisar diversos detalhes na hora de operar. Entre essas análises, a principal utilizada é a análise gráfica, conhecida também como análise técnica, que possui diferentes indicadores. Nesse artigo, vamos falar sobre dois deles: Suporte e Resistência.

Em resumo, eles são elementos gráficos que ajudam a identificar o comportamento de preço de um ativo ou derivativo e podem orientar sobre o momento certo de comprar ou vender.

Quer incorporar esses indicadores nas suas análises? Saiba o que os padrões representam e veja como identificá-los.

O que é suporte?

O suporte corresponde a uma zona de preços que serve como uma espécie de barreira para a queda da cotação do ativo ou derivativo. Na prática, ela indica uma zona em que o preço tende a não cair.

Sua representação se dá por uma linha gráfica e pode apontar um preço mínimo do ativo. Se o suporte realmente existir e for forte o bastante, a tendência é que o preço não seja menor que o definido por esse patamar.

O que é resistência?

De forma oposta ao suporte, a resistência corresponde a uma zona de preços que delimita a cotação máxima de um ativo ou derivativo. Ou seja, a tendência é que o preço do ativo não supere a resistência, caso ela seja forte o bastante.

Ela também é representada por uma linha gráfica, que funciona como uma espécie de teto para os preços em determinado momento.

Quais as principais características do suporte e resistência?

Embora representem condições opostas quanto ao limite de preços, o suporte e a resistência são semelhantes em diversos aspectos. Por exemplo, ambos são padrões gráficos utilizados na análise técnica.

Assim, eles costumam aparecer no gráfico de linha e ambos criam uma zona de flutuação dos preços. Se as barreiras forem fortes o suficiente, o preço cai até o suporte e, então, volta a subir. Se atingir a resistência, ele volta a cair.

A existência desses padrões gráficos também está atrelada à força compradora e à força vendedora do mercado. Em uma zona de suporte, é comum que a força compradora ganhe força em relação à força vendedora.

Dessa maneira, após uma tendência de vendas e de redução dos preços, investidores e traders podem aumentar a demanda pela compra do ativo ou derivativo.

Isso acontece porque o mercado pode identificar que o preço do ativo está barato, abrindo espaço para oportunidades de lucro. Com a ampliação do interesse, o preço pode voltar a subir.

No caso da resistência, acontece o contrário. Após um período de alta, uma zona onde a força compradora não consegue se manter para a continuidade de crescimento dos preços é atingida. Normalmente, isso ocorre devido à avaliação de que o ativo ou derivativo está caro.

Com o alcance desse desempenho mais elevado, muitos optam por realizar lucros. Isso pode aumentar a força vencedora e levar o preço para baixo.

Para que servem o suporte e a resistência?

Como vimos, o suporte e a resistência são elementos gráficos que fazem parte da análise técnica. Portanto, a existência deles e a avaliação das informações que oferecem estão relacionadas à tomada de decisão para operar na bolsa.

Dessa forma, por meio da leitura gráfica e do uso dos padrões apresentados, é possível identificar o comportamento do preço de uma ação. Assim, pode-se definir qual é o momento ideal para comprar ou vender, em busca da maximização dos lucros.

Por envolver, normalmente, operações de curto prazo, o suporte e a resistência são bastante adotados por quem faz day trade ou swing trade.

Diante disso, o suporte e a resistência são essenciais para operar na bolsa de valores de forma mais embasada.

O analista Filipe Borges gravou um vídeo contando detalhes sobre os pontos de suporte e resistência e explicando como utilizá-los.

Confira:

Como identificar suporte e resistência no gráfico?

Para utilizar o suporte e a resistência em suas operações, será necessário identificá-los. Como você viu, as linhas de suporte e resistência servem para testar o comportamento dos preços. Logo, uma forma de traçá-la é pelo reconhecimento de pontos de contato.

Por exemplo, em uma área com diversos fundos, uma linha que une o maior número possível de toques pode ser considerado o suporte. Já a resistência se constrói com os toques dos topos.

Além disso, note que quanto maior for a quantidade de vezes que os preços testam a linha, mais forte é o nível de suporte ou resistência. Isso porque o movimento demonstra que ele é capaz de repelir mais vezes uma tendência de queda ou alta.

Nessa identificação, não deixe de avaliar o volume financeiro. Quanto maior a quantidade de negociações próxima à zona, mais forte é o suporte ou a resistência.

O que significa a perda de suporte?

Depois de reconhecer as zonas de preços criadas pelo suporte e pela resistência, é preciso saber como pode ser a interação com o mercado. Um dos fenômenos que pode ocorrer é a chamada perda de suporte.

Ela acontece quando a tendência de queda é tão intensa que os preços caem abaixo do que foi definido como suporte. Quando isso se concretiza, o antigo suporte se transforma na nova resistência, em uma inversão de papéis.

Portanto, se houver uma reversão de tendência após a perda de suporte, o preço do ativo ou derivativo fica limitado pela nova resistência.

O que é o rompimento de resistência?

Antes de tudo, o movimento oposto à perda de suporte é conhecido como rompimento de resistência. Tal cenário se concretiza quando a tendência de alta tem grande impacto devido a um aumento da força compradora.

Consequentemente, o preço supera o limite máximo dado pela resistência, que passa a se romper. Nesse caso, a antiga resistência se torna o novo suporte. Novamente, caso ocorra a reversão de tendência, o preço tende a se limitar por baixo por esse novo suporte, que pode ou não ser perdido.

Vale notar que nem sempre a perda de suporte ou o rompimento de resistência indicam, necessariamente, que o movimento prévio se manteve. Por isso, é preciso que o trader tenha atenção e busque orientação, se necessário.

Dica extra

Agora que você sabe o que são suporte e resistência e como funcionam, vale a pena começar a usar esses padrões em sua análise técnica.

Desse modo, você terá mais dados para auxiliar na identificação de oportunidades e tomar decisões de maneira mais embasada ao operar na bolsa.

Uma dica para quem está começando é seguir estratégias de especialistas que já possuem uma experiência mais longa no mercado.

Foi pensando nisso que nós oferecemos aos nossos clientes acesso gratuito a uma sala de trading ao vivo.

Repetindo os mesmos movimentos dos traders da sala, você aumenta suas chances de sucesso e absorve todas as técnicas de quem respira day trade.

Que tal ter o apoio de uma assessoria ao fazer seus investimentos e operações? Então abra sua conta na Nomos e conte com o nosso suporte completo!

Esse artigo foi útil? Avalie:

 

Esse artigo foi útil? Avalie:

Preencha o formulário para ser redirecionado ao WhatsApp e entrar em contato com o nosso time

Receba sempre os melhores conteúdos e torne-se o investidor que sempre quis ser

Entenda mais sobre nossos termos e políticas