Categorias

Carteiras recomendadas: como funcionam e quais as vantagens para o investidor 

Sumário

Tempo de leitura: 4 minutos.

Investir por conta própria pode não ser tão fácil. Afinal, montar um portfólio de ativos balanceado exige tempo e dedicação para fazer análises. Mas e se você pudesse contar com especialistas renomados guiando o caminho para você? Essa é a proposta das Carteiras Recomendadas.

Por meio delas, você pode seguir as recomendações de profissionais certificados das maiores casas de análise do país sem precisar acompanhar as movimentações, indicadores ou fazer análises mais complexas.

Gostou? Então então vem entender mais sobre o funcionamento das Carteiras Recomendadas e como você pode utilizá-las a favor dos seus resultados.

O que são carteiras recomendadas? 

As carteiras recomendadas consistem em portfólios compostos por ativos selecionados cuidadosamente por analistas certificados.  

Esses profissionais encarregam-se de analisar o mercado de forma macroeconômica, observar os setores e/ou empresas promissoras, bem como diversos outros detalhes para fornecer recomendações assertivas que, em conjunto, formem uma Carteira Equilibrada.

O objetivo de cada carteira é determinado de forma individual pelo estrategista responsável. No entanto, em sua maioria, busca-se superar um benchmark específico, como o Ibovespa, IPCA, IFIX, entre outros.

Como as carteiras recomendadas funcionam? 

O processo de composição de uma carteira de investimentos tem início a partir de uma sólida avaliação dos analistas. Esses profissionais costumam estudar o cenário macroeconômico e as principais características dos investimentos disponíveis no mercado. 

Para compor uma carteira de ações, por exemplo, é essencial realizar uma ampla análise fundamentalista. Ou seja, pesquisar a fundo os fundamentos das empresas, bem como suas projeções de consolidação e crescimento no mercado.

Outro ponto importante é evitar a concentração de recursos em poucos ativos ou setores. Dessa forma, os riscos do portfólio são balanceados, proporcionando maior segurança ao investidor.

Ao final, a carteira recomendada é divulgada junto a uma espécie de relatório. Nesse documento, há uma apresentação dos ativos escolhidos, a porcentagem deles em relação à Carteira, as justificativas para a seleção e outras informações relevantes.

Desse modo, o investidor pode entender quais são critérios de montagem e analisar se realmente estão de acordo com os seus objetivos.

Importante: É comum que os relatórios das carteiras recomendadas sejam divulgados com certa periodicidade. Em sua maioria, mensalmente.

Algumas vezes, nos relatórios há indicação do que comprar ou vender, com base na perda ou no reforço de fundamentos de cada ativo. Mesmo assim, a divulgação de um novo relatório não significa, necessariamente, que a carteira sofreu modificações. Pode acontecer de todos os ativos serem mantidos de um mês para o outro, com a mesma proporção.

Na Nomos, clientes têm acesso gratuito à dezenas de Carteiras Recomendadas e Automatizadas das maiores Casas de Análise do país. Para receber, basta ser usuário do TradeNews ou falar diretamente com o assessor para conhecer as melhores opções.

Ainda não é cliente e quer conhecer as Carteiras disponíveis? Acesse a nossa página de Carteiras e baixe os relatórios desse mês.

Quais são os tipos de carteiras recomendadas? 

Uma outra característica importante das carteiras recomendadas é que elas podem ser compostas por diferentes tipos de ativos, escolhidos a partir de uma estratégia específica.

Embora, normalmente, exista apenas um tipo de ativo por portfólio recomendado, cada carteira atende a um objetivo específico e regras de composição distintas.

A seguir, separamos para você os modelos mais comuns de Carteiras Recomendadas:

1. Carteira de Ações 

Uma carteira recomendada de ações é formada por papéis que concedem a participação nos resultados de empresas. Essa classificação pode se subdividir em outras, dependendo da estratégia adotada. 

Uma carteira recomendada de Small caps, por exemplo, é composta apenas por ações de empresas com menor capitalização. Já uma carteira de Blue Chips, é formada por negócios com elevada capitalização e alto nível de liquidez. 

Entre as Carteiras dessa classificação, um dos destaques oferecidos pela nossa assessoria é a Carteira Max Ações. Elaborada por um dos maiores estrategistas de ações do mercado, Max Bohm, ela é composta por cerca de 15 a 20 ações contemplando três grupos de empresas: Largecaps, Pagadoras de Dividendos e Smallcaps.

Clique aqui e saiba mais sobre a Max Ações.

Carteira Recomendada - Max Ações

2. FIIs 

Já uma carteira recomendada de FIIs é formada por fundos de investimento imobiliário. Eles podem ser: 

  • Títulos atrelados ao mercado imobiliário (fundos de papel); 
  • Imóveis físicos (fundos de tijolo); ou 
  • Cotas de outros FIIs (fundos de fundos). 

O portfólio montado por um analista traz uma combinação específica entre os fundos imobiliários do mercado, em busca de determinados objetivos. 

Uma carteira recomendada de fundos de tijolo, por exemplo, foca em FIIs que investem em imóveis. Assim, é possível saber quais são as alternativas mais indicadas em cada classificação. 

Carteira Recomendada - FIIs Benndorf

3. BDR 

O Brazilian Depositary Receipt (BDR) também é conhecido como Certificado de Depósito de Valores Mobiliários. Esse é um investimento que se negocia na bolsa de valores, como as cotas dos FIIs e as ações. 

O diferencial desse tipo de Carteira é a possibilidade de investir também em ativos internacionais, já que os BDRs podem ter lastro em ETFs, ações ou títulos do mercado externo. 

Uma carteira recomendada em BDR reúne certificados que ajudam a montar um portfólio com exposição ao ambiente externo. É o caso de uma carteira recomendada com BDRs de ações americanas, por exemplo. 

Com elas, é possível se expor a diferentes setores, de mercados distintos – como o setor de tecnologia, segmento financeiro ou de energia, por exemplo. 

Ebook - Investimento Internacional

4. Dividendos 

Já uma carteira recomendada de dividendos, é um portfólio voltado para a seleção de ativos que são pagadores de proventos, e quem as escolhe são os que geralmente desejam uma renda passiva.  

Uma carteira de dividendos pode compor ações, FIIs ou mesmo BDRs que façam esses pagamentos aos investidores. Contudo, é bastante comum ter carteiras com esse objetivo que tenham apenas um tipo de ativo.

A Top Dividendos XP, por exemplo, recomenda apenas papéis de empresas que oferecem perspectiva de distribuição contínua de lucros aos acionistas, ou seja, pagamento de dividendos.

Quais são as vantagens desses portfólios?

Devido às características que apresentamos, recorrer a uma carteira recomendada pode trazer uma série benefícios ao investidor.

Um dos pontos positivos é a oportunidade de fazer um investimento com base em informações confiáveis, robustas e geradas por analistas qualificados.

Além disso, esse investimento tem a praticidade como uma grande vantagem, já que você não precisa realizar as análises de ativos por conta própria.

Outra questão interessante é a possibilidade de satisfazer as necessidades de diferentes tipos de investidores.

Quais são as possíveis desvantagens das carteiras recomendadas? 

Apesar dos inúmeros benefícios, uma carteira recomendada também pode ter algumas desvantagens – e você precisa conhecê-las. Por exemplo, embora ela facilite as decisões de investimento, é necessário realizar cada operação individualmente. 

Ou seja, nesta modalidade, não há como fazer um investimento para alocar em todos os ativos de uma vez. Em carteiras recomendadas de ações, por exemplo, é necessário adquirir cada papel individualmente.

Nesse caso, você tem até mesmo a liberdade de mesclar recomendações de diferentes carteiras – mas ressaltamos que essa não é uma atitude que aconselhamos. Isso, pois carteira tem o que consideram os melhores investimentos em relação às condições e ao perfil de risco. 

Dessa forma, mesclar as orientações pode criar um portfólio desequilibrado e que não será capaz de oferecer os resultados desejados.

Uma maneira de diminuir o trabalho de mandar inúmeras ordens é escolhendo uma Carteira Automatizada. Dessa forma, você investe em um portfólio completo de uma só vez e tem seus rebalanceamentos feitos de forma automática, bastando apenas ter saldo em conta.

Clique aqui e confira nosso artigo sobre Carteiras Automatizadas

Como investir de acordo com uma carteira recomendada? 

Se você quiser seguir uma carteira recomendada, o primeiro passo é identificar o seu perfil de investidor e objetivos.  

Assim, será possível entender o que uma oportunidade de investimento — ou um portfólio — deve ter para atendê-lo.

Se ainda tiver dúvida sobre o seu perfil ou as características dos diferentes produtos financeiros, você também pode falar com o nosso time.

Aqui na Nomos, temos especialistas em diferentes áreas para orientar suas decisões e cuidar do seu patrimônio junto com você.

É disso que você precisa? Então clique aqui e fale com o Time da Nomos.

Esse artigo foi útil? Avalie:

 

Esse artigo foi útil? Avalie:

Preencha o formulário para ser redirecionado ao WhatsApp e entrar em contato com o nosso time

Receba sempre os melhores conteúdos e torne-se o investidor que sempre quis ser

Entenda mais sobre nossos termos e políticas