Categorias

Imposto come-cotas: o que é e como é feita essa cobrança

Sumário

Tempo de leitura: 3 minutos.

Ao decidir investir em produtos financeiros, muitas pessoas acabam levando em consideração somente as promessas de rentabilidade e acabam esquecendo de estudar as diversas tributações que incidem sobre os ativos. Entre elas, a mais conhecida é o imposto come-cotas, um recolhimento periódico imposto pela Receita Federal. 

Vamos entender mais sobre esse imposto e como ele funciona? 

O que é o imposto come-cotas? 

O come-cotas é uma tributação sobre ativos que funciona como uma antecipação do imposto de renda.  

Aliás, ele recebe esse apelido pois, periodicamente, faz uma dedução do número de cotas dos fundos.  

Mas é importante lembrar que o imposto come-cotas não influencia no valor inicial investido, apenas na valorização. 

Como funciona o imposto come-cotas? 

O come-cotas funciona de forma automática e independente às interferências do investidor. 

A receita determina uma taxa de 15% a 22,5% sobre os rendimentos apurados no semestre, dependendo do tipo de fundo (curto, médio e longo prazo.) 

Quando é cobrado o come-cotas? 

A cobrança do come-cotas é feita duas vezes por ano, usualmente nos últimos dias úteis de maio e de novembro. 

Além disso, a cobrança também pode ser feita caso o investidor resgate valores do fundo em datas anteriores à tributação. Nesse caso, a cobrança ainda será total. 

Ao invés do valor ser cobrado ao investidor para fazer o pagamento da taxa em dinheiro, esse imposto fica retido na fonte por meio da redução no número total de cotas, equivalente ao percentual determinado. 

Quais são as alíquotas e o que são alíquotas complementares? 

As alíquotas do come-cotas seguem a tabela regressiva do Imposto de Renda. Dessa forma, fundos de curto prazo tendem a sofrer com tributações maiores quando comparadas a fundos de longo prazo, que tem as menores alíquotas.  

Entretanto, existem também as alíquotas complementares, que são aplicadas quando o resgate é feito antes do prazo estabelecido. 

Por exemplo: se um fundo com alíquota de 20%, que corresponderia a um mínimo de 181 dias, for resgatado antes desse prazo mínimo, passará a ter alíquota de 22,5%. 

Mas calma! Não existem cobranças em duplicidade. Na hora do resgate da aplicação, o IR é apurado de acordo com o tempo de cada investimento, e o que já foi recolhido através do come-cotas é descontado. 

Confira na tabela quais são as tributações para cada tipo de fundo:  

Prazo de aplicaçãoAlíquota IR
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
A partir de 721 dias15%

Como saber quais fundos pagam come-cotas? 

Todas as informações sobre cada fundo de investimento estão concentradas no regulamento, um documento que discrimina detalhes como o perfil de risco, nível de liquidez e outras informações necessárias para que o investidor saiba se esse fundo cabe na carteira.  

É através deste documento que o investidor pode saber se o fundo sofre com a incidência do come-cotas ou não.  

Caso queira encontrar a informação de forma mais rápida, é possível acessar diretamente a lâmina do fundo, que contém as características principais do portfólio. 

Quais ativos recebem essa tributação? 

A cobrança do come-cotas não incide sobre todos os produtos financeiros do mercado, apenas sobre os fundos de investimento com regime tributário de curto prazo e longo prazo, são eles: 

  • Fundos de Renda Fixa 
  • Fundos Multimercados  
  • Crédito Privado 
  • Fundos Cambiais  
  • Fundos de Ouro 

Nos produtos de longo prazo, a taxa é de 15%, já nos fundos de curto prazo, o recolhimento é maior, sendo cerca de 20%.  

Os outros tipos de fundos, como os de ações, previdenciários, imobiliários, entre outros, não recebem incidência de come-cotas. Nesses casos, alguns possuem isenção fiscal e outros têm a cobrança do IR feita apenas no resgate. 

Em caso de dúvidas sobre como é feita a tributação, verifique no regulamento do fundo. Essa leitura é essencial para saber diversas informações importantes e descobrir se o ativo realmente está de acordo com o seu perfil

Watchlist de Fundos - Artigo imposto come-cotas

O Imposto Come-Cotas impacta no rendimento final da aplicação? 

O come-cotas tem impacto negativo sobre o saldo final da aplicação pois reduz a quantidade de cotas detidas pelo investidor e, consequentemente, seu patrimônio. 

Caso não existisse esse desconto, as cotas continuariam se valorizando até o momento do resgate – mas com a incidência do imposto, os juros são calculados sobre um patrimônio menor. 

Ainda que o come-cotas atue apenas sobre a valorização, podemos perceber que esse imposto é uma grande desvantagem para os investidores – que veem o fim dessa cobrança como o cenário ideal. 

Até então, não há previsão de extingui-lo. Porém, na última reforma tributária, já havia uma proposta em relação a ele, que seria de transformar essa cobrança semestral em anual, com alíquota fixa de 15%. 

De qualquer forma, a incidência de come-cotas não é o que determina se o fundo é rentável, na verdade, existem diversos fundos que possuem ótimos resultados mesmo com essa dedução. 

Mas claro, também é válido pesquisar sobre as possibilidades não impactadas por essa antecipação de IR. 

Inclusive, existem algumas opções de fundos que replicam portfólios com incidência de come-cotas, porém, sem essa tributação – como por exemplo, o fundo multimercado previdenciário.  

Apesar de classificado como fundo previdenciário (sem come-cotas), ele replica um fundo multimercado (que incide come-cotas).  

Veja a comparação de crescimento patrimonial entre um fundo tradicional multimercado e um fundo multimercado previdenciário: 

Evolução Fundos - Artigo Imposto Come Cotas

Mas lembre-se, esse gráfico não indica que os fundos sem incidência de come-cotas serão sempre melhores. O gráfico demonstra apenas uma comparação estatística e sem garantia de rentabilidade futura.

Para definir quais são os fundos mais adequados para sua estratégia de investimentos, é necessário levar em conta questões como: taxas, política de investimentos, valor mínimo de aplicação, entre outras.

Se quiser uma mãozinha para fazer essa análise, você pode contar com o nosso time de especialistas ou investir diretamente em carteiras automatizadas de fundos.

Os experts das maiores casas de research do país montam as carteiras e podem ser uma maneira de aproveitar as oportunidades do mercado com menos esforço.

Fale com a Nomos para saber mais e dê o primeiro passo para se tornar o investidor que sempre quis ser.

Esse artigo foi útil? Avalie:

 

Esse artigo foi útil? Avalie:

Preencha o formulário para ser redirecionado ao WhatsApp e entrar em contato com o nosso time

Receba sempre os melhores conteúdos e torne-se o investidor que sempre quis ser

Entenda mais sobre nossos termos e políticas